27/12/2009

Rebeka Sailor: A garota.

| |



Oii gente continuiçaõ da minha história:

3º Capítulo: Minha carreira...

Depois da briga que tive com os meus irmão por causa do fio de cabelo, mamãe Natalia queria conversar comigo a sós, bem eu aceitei, ela me disse que eu já tinha 10 anos e que brigar assim com meus irmãos por um motivo tão inútil e banal me transformaria em um bebê, e sabe eu não queria ser um bebê, e a partir deste instante resolvi que não iria mais brigar por motivos tõ banais.
Meus irmãos viviam falando a carreira que queriam, a Fernanda sempre dizia que queria ser modelo, Eduardo queria ser policial, e eu bem na verdade nunca tinha pensado nisso. Então nos restos dos dias não houve mais brigas na casa, pois eu a causadora delas, estava pensativa sobre que carreira eu iria querer seguir no futuro. Minhas mães diziam que eu deveria ser pensativa sempre, pois assim não haveriam mais brigas na casa. Fomos dar uma volta com a nossa cachorrinha Lili uma labradora pela qual eu era totalmente apaixonada, no caminho do passeio, eu fiquei obervando as pessoas na rua e tentando imaginar a carreira delas, estavamos em um passeio tranquilo, até Lili começar a ficar estranha e espumando pela boca, logo a levamos correndo para a clinica veterinária e vi a doutora a examinando com cara despreocupada, ela me passava tanta tranquilidade, que por um instante eu quis ser ela, que depois de examinar Lili disse que não era nada tão grave, Lili só teve um ataque de raiva, porque ainda não fora vacinada, então a doutora foi lá e deu a vacina em Lili, Natalia pagou a veterinária e fomos embora.
Quando chegamos em casa, virei para a mãe Natalia e disse para ele que eu queria ser veterinária...

4º Capítulo: Um dia de veterinária:

Quando a nossa mãe Dora chegou em casa, fomos contar a ela o que houve com Lili e contamos que ela precisava de vacina contra raiva, ela deu o dinheiro da vacina para Natalia e pediu que no dia seguinte levasse Lili a uma nova consulta para ter certeza que era raiva o que ela tinha. Nos despedimos da mãe Natalia. Naquele dia eu fui dormir pensando em como eu seria no futuro, o que eu seria?
No dia seguinte a mãe Natalia chegou de manhã, sem querer acordar ninguém, mas eu acordei, ela iria levar a Lili a clinica veterinária e pediu que eu ficasse com os meus irmãos, mas eu queria tanto ir lá de novo, gostei tanto da clinica, mas fiquei pensando em como pediria isso a Natalia, quem cuidaria dos meus irmãos?
Então eu lembrei da nossa bondosa vizinha a senhora Tompson, Marjorie Tompson, pedi para a mãe Natalia me levar junto com ela e deixar Fernanda e Eduardo com a senhora Tompson, ela não gostou muito da idéia, mas eu insisti tanto que ela deixou.
E lá fomos nós, eu, Lili e Natalia, no caminho Lili estava estranha, eu não sabia o que ela tinha, mas eu sabia que era algo de ruim, quando ela andava, mancava com a pata direita. Finalmente chegamos a clinica, pedi para a veterinária Eliana, que me deixasse vê-la examinado Lili, ela deixou e logo após o exame, ela disse que não havia nada de errado, então eu contei a ela que Lili estava mancando com a pata direita, então ela foi ver, e ela achou na pata da cachorra uma enorme ferpa, ela arrancou a ferpa e disse que não sabe como a cachorra aguentou se quer dois dias com aquela ferpa incomodando, enquanto Natalia pagava Eliana, eu fui analisar a clinica, fiquei olhando tudo atentamente, e quando dei por mim, Natalia estava me chamando para ir embora, quando estavamos saindo, ouvi alguém me chamar e era Eliana, fui até ela e Eliana me perguntou que carreira eu queria seguir, eu lhe falei que gostaria de ser veterinária, ela me convidou para passar o dia na clinica e ver como era um dia de veterinária... Pedi a mãe Natalia se podia passar o dia lá, ela me deu um sorriso e disse que sim...


Gente por hoje é só amanhã tem mais a continuação de Rebeka: A garota...

Bjinhos de Vick-Tkm

Um comentário:


Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.